POR QUE BUYER PERSONA E NÃO PÚBLICO-ALVO? | Clique Comida

POR QUE BUYER PERSONA E NÃO PÚBLICO-ALVO?


Enfim, você vai entender de vez por que usar buyer persona e não só o público-alvo. Melhor ainda, vai entender a importância da segmentação. Bora lá?


Bom, para que não perca o fio da meada, vale relembrar que falamos de Presença Digital e sobre planejar impactar seu público com maior eficiência onde ele estiver, ou seja, alcançar com precisão seus possíveis compradores onde e quando ele estiver online. Aqui fica claro o próximo passo então: definir seu público.


CASO SUA NECESSIDADE SEJA VENDER MAIS CLIQUE AQUI.


Entenda SEU PÚBLICO-ALVO como uma forma abrangente e generalizada de visualizar mentalmente os compradores de seus produtos/serviços. Vou exemplificar, imagine que você tem uma loja física de Sapatos e Calçados em geral e queira vender online agora, seu público-alvo:

  • HOMENS | MULHRES | LGBTQ+;
  • ENTRE 18 E 65 ANOS;
  • TODAS AS CLASSES SOCIAIS;
  • ESPORTISTAS OU NÃO;
  • QUE QUEIRAM COMPRAR ALGUM CALÇADO.


Parece meio óbvio não é? Pode até variar um pouco, ter suas especificidades, entretanto, em linhas gerais, é um fato que a maior parte da população tenha a necessidade de comprar calçados. Perceba que seu público mesmo sendo definido ainda é abrangente demais e a mensagem para ser usada nos meios sociais se tornam comum, sem um argumento que faça o usuário se sentir único e o mobilize à tomar uma ação, nesse caso comprar um calçado de você.

Quando você segmenta, quer dizer, divide seu público em pequenos grupos específicos e cria uma mensagem personalizada, o “tiro é mais certeiro”, você otimiza o investimento nas mídias, na produção, na aquisição de um produto que você sabe que vai vender e então avisa claramente aquela Persona que você o tem e como está ao alcance facilmente, pois ele está preparado para ter aquelas sensações que só o produto vendido por você vai proporcionar. Parece complicado? Vou dar mais de um exemplo para esclarecer de vez como isso funciona:

PERSONA 1 – ANINHA
  • ANA é natural da mesma cidade da sua loja, tem 30 anos, divorciada, é formada em Contabilidade e faz academia todos os dias às 06 da manhã, pois entra às 08h no escritório e à noite vai buscar seu único filho na casa da mãe. Devido à pandemia, a ANA ganhou peso, pouco, mas está muito insatisfeita com o próprio corpo e quer resultados rápidos. Ela voltou pra academia logo que abriu e reparou que seu velho tênis lhe causa dor nos joelhos.

PERSONA 2 – RENATO
  • RENATO mudou-se para a mesma cidade da sua loja tem 4 anos, 35 anos de idade, namorador, é formado em Administração com Pós em Liderança. Renato é um atleta de fim de semana, anda de bike no sábado e no domingo joga bola com os amigos antes de se juntarem naquele boteco da esquina do Society que frequentam. Devido à pandemia, Renato voltou a estudar à noite e está cansado da vida de vendedor, por isso investe em um novo negócio. Todo mês Renato precisa de sapatos novos e uma vez por ano troca as chuteiras acompanhando os lançamentos da marca que ele é fã: Adidas.

PERSONA 3 – FELÍCIA
  • FELÍCIA, 54 anos, sendo 32 deles bem vividos ao lado de seu amado marido Genival, mudaram para a mesma cidade de sua loja há 25 anos, quando a firma que o marido trabalhava abriu unidade lá. Felícia sempre foi uma dedicada dona de casa, mãe de 2 filhos, Caique 31 e Iara 28, parou seus estudos depois do colegial, não teve tempo para estudar mais e preferiu cuidar da família, seu maior tesouro. esse mês é aniversário dela e ela planeja fazer um jantar virtual com sua família, mas quer estar linda no dia. A FELÍCIA sempre foi muito vaidosa, dançava nos salões da cidade todo fim de semana até a pandemia atrapalhar, “mas um dia eu ei de voltar no meu saltão linda como sempre”, repete todos os dias nas conversas com o grupo de amigas da igreja.


Note, que são pessoas fictícias porém com histórias, hábitos e costumes, como eu ou você, ou ainda qualquer conhecido seu, Criar uma BUYER PERSONA é entender cada indivíduo e suas peculiaridades e comunicar para cada um naquilo que o move. A Aninha precisa de tênis novos para academia, pois a vida não para. O Renato precisa de sapatos novos para aguentar o dia-a-dia batido de porta em porta. E a D. Felícia merece muitos sapatos para que tenha sua vida leve e dançante.


Todos cabem como Público-Alvo, poucos são tão especiais como cada um é do seu jeito. Valorizar aquilo que os torna únicos cria laços, fortalece vínculos e mobiliza, comprar de você é só um gesto de gratidão.


Dica: antes de montar diferentes PERSONAS para planejar as ações de comunicação e vendas do seu negócio, pesquise, entenda quem já compra e quais os seus motivos. Fale com o público e analise as reincidências.


E agora, parece complicado ainda? Entendeu por que Buyer persona e não público-alvo? Faz sentido para o seu negócio atuar com uma comunicação direcionada e segmentada? Ficou alguma dúvida? MANDA COMENTS hehehe. Espero ter agregado no seu dia e aguarde, mais dicas estão por vir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *